quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Quatro Ps - 5 Sentidos - Uma em 16 Táticas: imagem de marca.

Imagem de marca

Assim denominamos outros atributos - além da logomarca - que, no entorno da marca, complementam a comunicação de um produto, serviço, ideia, causa ou indivíduo.

Este último aspecto é especialmente interessante porque, no caso de pessoas físicas que demandam visibilidade em uma sociedade ou segmento de mercado (profissionais liberais, atletas, artistas, pesquisadores, executivos) não se pode, em nossa opinião, falar em 'marca', pura e simplesmente. Para indivíduos, adotamos este entendimento - o de que, na falta da 'embalagem' típica dos produtos e da comunicação mercadológica típica dos serviços, o que 'marca uma pessoa' é sua imagem projetada (sempre reforçando que não dominamos a imagem percebida).

Nem todas as organizações lançarão mão dessa ferramenta, embora 'imagem' seja algo que se forma na cabeça do público, e não aquilo que comandamos - mas este não é o sentido que damos, aqui, ao termo 'imagem'.

Em se tratando da 'imagem de marca', categoria proposta como tática na instância Reconhecimento (primeiro 'R' no composto de 4 Rs das RP Plenas, ao lado de Relacionamento, Relevância e Reputação), queremos aludir a ações como:

- adoção de um(a) garoto(a) - propaganda;
- adoção de testemunhais;
- adoção de uma 'aural signature' (assinatura sonora);
- adoção de um 'jingle';
- adoção de um odor característico em seus pontos-de-venda.

Como se conclui, o estímulo a outros sentidos que não só a visão proporcionada pela marca gráfica amplia o escopo da comunicação de marca. Estudos no campo do chamado 'neuromarketing' aprofundam o uso desse tipo de instrumento.

A boutique Farm, por exemplo, além dos uso de fragrância uniforme em todas as suas lojas (o que complementa a ambiência da decoração rigorosamente padronizada), lança mão de uma ação chamada 'Rádio Farm' com uma programação musical específica e característica - que é som ambiente em todas as suas lojas.

Mais sobre este tema - http://www.infobranding.com.br/brandsense-construindo-marcas-com-experiencias-sensoriais/
>

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A hora é de convergência entre Comunicação e Administração.


O livro "Relações Públicas e Marketing: convergências entre Comunicação e Administração", de Manoel Marcondes Machado Neto, diretor-presidente do Observatório da Comunicação Institucional, está saindo - agora, em 2016 - numa segunda edição, revista e ampliada, pela Editora Ciência Moderna - nos formatos 'e-book' e impresso.

A obra, técnica e didática, destina-se: (1) aos estudantes de Relações Públicas e profissionais já formados que compartilham da visão de que somos antes (e mais) gerentes do que comunicadores, e (2) aos administradores que enfim despertaram para a importância de se realizar - boas - relações públicas com seus diversos públicos-chave.

Adquirindo o livro diretamente no 'site' da editora há um bom desconto. Se você é estudante, peça a seu professor das cadeiras de Administração, de Assessoria, ou de Consultoria, que avalie o livro para adoção. Ele pode fazê-lo diretamente ao diretor George W. Meireles pelo e-mail 'gewme@lcm.com.br' para receber um 'link' para a versão 'e-book' de forma gratuita.

Em Tempo: Na sua primeira edição, o livro foi resenhado - e bem recomendado - pela saudosa colega Mariângela Benine Ramos Silva, da Universidade Estadual de Londrina.

LINK para a sinopse -
http://www.lcm.com.br/site/#/livros/detalhesLivro/relacoes-publicas-e-marketing---convergencias-entre-comunicacao-e-administracao-2nd-edicao-ampliada.html
>

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Sem logo. Mais um capítulo no desnudamento das marcas.



A jornalista-ativista canadense Naomi Klein (também autora de 'Doutrina do Choque', 2007) já havia levantado esta questão - de produtos 'sem marca' - em seu livro de mesmo título ('No Logo', 1999).

E, agora, mais... http://clubedodesign.com/2016/01/39175/
>